sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Pascoal Meirelles, Mestre da bateria fala sobre A DINÂMICA

Tenho como uma base o "Cama de Gato" , um conjunto instrumental que  do Jazz sai baião, que do baião sai um samba, que do samba sai um frevo, que vai para o 3/4 em uma valsa ou se remete ao 6/8 em uma Guarania, e volta para o jazz , ao blues com características brasileiras

Um dos instrumentistas é o músico, compositor, arranjador  Pascoal Meirelles... em uma palhinha, para dar um aviso aos novos músicos que virão após ele, ele em vídeo dá o recado:


é uma aula se for ouvir todos os conselhos...
Harmonia, Melodia, Rítimo e DINÂMICA, assim Pascoal Meirelles configura nossa música hoje.

Mas tem tudo a ver, se for ver(ouvir) bem. No todo a música é música, em uma orquestra, o fortíssimo é bem diferente do piano, fazendo da dinâmica escrita para uma orquestra diferente da dinâmica escrita ou sentida por um grupo de jazz. A Dinâmica de uma orquestra é pontual enquanto a dinâmica do grupo de jazz tem que ser sentida, do piano e poucas notas começa-se fazer um improviso, no meio já inteirado com as notas, sobe a dinâmica, quer crescer e quer que o grupo cresça junto. As vezes, se a bateria ficar com apenas o coco do prato, o guitarrista apenas com uma nota, o baixista com apenas uma nota, já dá para se ouvir harmonia. Esta harmonia é o que chamamos de GRUPO, pois ninguém é mais importante e menos, todos são iguais a pocura do melhor som, a melhor entrada e a melhor saída.

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Feliz Natal dos "Faggi"

Comunidade, grupos, família... Anos passam e muitas coisas acontecem, em várias comunidades vc tem algo em comum, grupos são formados, muitas coisas são feitas por vc e pelo grupo, uma família é criada...
Temos aquela que é original e aquelas que pela falta da original criamos ou é criada e nós vamos de mancinho nos infiltrando. Pertecemos a vários grupos de pessoas, nas escolas, nas ruas, os nossos visinhos, irmãos, parentes, alunos etc...

Aqui algumas fotos que mostram:

Grupo de ciclistas em SBC
Grupo Musical
Uma companhia Circense, Dia das Crianças, com palhaços e musicos e Tia Sú
Grupo de Blues, no dia do músico no Gambalaia
Quando ninguém mais acreditava, eles acreditaram, enfrentaram a mídia negativa, polícia e ladrões
Mesmo quando são impedidos. Lazer, esporte, rir, ir e vir são proibidos
Então é necessário dar os primeiros passos, ensinar, basta apenas boa vontade e não ter medo de colocar a mão na graxa
Sempre superando
 Mas de tudo isso, minha família é o mais importante, esta familia que eu pertenço que pedala, que toca musicas, que faz palhaçadas, que passa o chapéu nas ruas, que pergunta , está tudo bem? Os meus queridos vizinhos, colegas, amigos e irmãos... a família Mor é importante tanto quanto a familia que busquei em minha vida.
Familia Mor, mais especificamente "Faggi"  com amigos de infância, Ana, mãe do Choco e da Fenanda
Para todos os meus colegas, irmãos , amigos, vizinhos, e até inimigos um Feliz Natal e um próspero "Ano Novo"

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Finalizações de oficinas realizadas no CAJUV SBC


Você foi ao CAJUV SBC, conhece  CAJUV?
Sabe o que ele representa?


Não podemos dizer que o CAJUV  não é escencial , dia 13 finalizou os espetáculos dos alunos do CAJUV, pelo final das oficinas do semestre e do ano de 2013.
Cajuv(Coordenadoria de atenção à Juventude) não formará ninguém profissionalmente, este é o compromisso da Secretaria da Cultura, no entanto de lá saem talentos que já são conhecidas internacionalmente, como por exemplo no Cirque de Solei, temos 4 alunos que já foram do Cajuv.
Fico imaginando a pessoa que trabalhou a vida inteira e não conseguiu em sua terceira idade, a guiar uma bike. Da mesma forma vejo aqueles que adorariam tocar um violão, um pandeiro, mas nem vão atrás em suas horas vagas... trabalham, trabalham pelo carimbo em uma carteira e no final de suas vidas não se permitiram e nem permitiram que outros tivessem acesso a cultura.
Não estou sendo contra ao carimbo na carteira ou de trabalhar, mas de se viver.
O CAJUV mostra ser o grande aliado para a restauração, reconquista, resgate da nossa cultura. Lá não só se formaram circeses, malabares e trapézios... musica foi um deles e teve o encerramento em alto estilo, tivemos produções com dança, corais de verdade.... tivemos melhoeres produções do que o ano passado e a familia de talentos CAJUV vai aumentando.
menos da metade da familia CAJUV
Todos nós temos talentos artisticos ou não, alguns administram uma empresa, outros jogam bola, alguns tem o dom do ilusionsmo, outros tocam, outros fazem piruetas no ar, outros salvam vidas, outros fazem rir etc...
As Vezes e quase sempre, artistas são bancados pelos pais, tios, avós ou tutores, seja a profissão que escolher, mas em todas elas é necessário que aquele quem banca a profissão, tenha confiança no artista pródigo , pois logo que aprender criará asas e poderá criar seu fundo para sobreviver.

A cultura é vista como um hobie, um lazer, no entanto não vêem que os professores  são estudados em sua linguágem artistica cultural, levam anos para adquirir tal performace, leva mais tempo ainda para adiquirir didática de aprendizagem , pois  sempre estamos, e graças a Deus, plantando e colhendo boas pessoas que em um dia mais a frente, plantará da mesma forma que plantamos para colher mais e mais jovens.
Assim a as Linguagens artisticas culturais, toma a frente para criar uma juventude saudável, mais humana, com menos visões daquelas de um “dependente químico” já em um estado avançado, não consegue retornar a sua vida anterior. Já os artistas são dependentes sim, da cultura e digo, isso não influencia ninguém no trabalho, emprego, aliás ajuda a  manter no emprego! Mas não se decepcione se teu filho escolher ser artista, este é o seu único vício...
Minha família teve bons e ótimos musicos, alguns veteranos ainda estão entre nós, alguuns não conseguem mais tocar(devido a doenças), e outros fazem da música seu legado... Eu ensino aqueles que tiveram o gosto pela música, mas não somente a música eu propus  e empurrei, já que era o que entendia melhor. Primos, sobrinhos, filhos e irmãos foram influenciados pelo teatro, circo, trapézio, música.
Dá-se para tirar uma comparação que, um artista daria para ser um ótimo professor, mas o professor não daria para ser um ótimo artista, mas sempre há exceções .
O finado Gonzaguinha, deixou algumas letras muito positivas para essa rapazeada e dito:

Eu Acredito é na Rapazeada http://letras.mus.br/gonzaguinha/1134707/ 


algumas de superação

O Homem Também Chora(Guerreiro Menino)  http://letras.mus.br/gonzaguinha/250255/



E  hão pessoas que largam seus sonhos, esquecem até que tiveram um dia um sonho como tal para dar comida na mesa. Deu a história de uma pessoa(verídica) de um salto para o abismo e no final ri da multidão executiva, quando gritam, pula e morre seu otário. Deu um puxão de orelha dizendo que somos apenas pessoas, somos gente, que temos um só coração, seja qual for a profissão!
tem muito mais de onde veio essas... Gonzaguinha frizou muito a Linguagem artística Cultural, frizou também que

Assim, seja qual seja sua profissão, somos artistas e equilibristas da Fé.

Tem muito que ser feito pela cutura. Disseram, não sei quem, que a Cultura NÃO PRECISA DE VERBA

Conforme as fotos com mais qualidades vão chegando eu vou exibindo:




 


terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Dia do Palhaço, 10 de dezembro

Conheci vários Clown's (Palhaços) e devo dizer que minha família sempre teve o sangue do palhaço nas veias. Minha mãe não escapou dessa linhagem, aliás foi ela que pingou o sangue da alegria em cada um dos seus filhos. Já vi crianças rirem com os palhaços e também chorarem de pavor, mas tudo foi amenisado com o improviso e em uma dessas por mim vivido, foi no Centro Cultural do Ferrazópolis em um show da CIA Sintonia do Riso. Rapidamente  deram todas as atenções a criança, que logo parou de chorar com aquela carinha, porque eu estava chorando mesmo?
Como disse minha mãe jorrou sangue de alegria. Fez Magistério, Pedagogia, Psicologia, tornou-se Diretora e no final da vida dela, uma professora e por onde ela passava, era reconhecida. Nas mãos dela os talentos aconteceram, Wesley dos Teclados(músico) 14 professores e até político que hoje atua em SBC como vereador...
Ela veio do interior e a música foi uma das coisas que ela trouxe e eu agarrei!
Aureni de Andrade Faggi, in memórium

Mas os filhos, netos e bisnetos tentam seguir os mesmos passos...
Aqui temos a neta, o bisneto e com os bonecos a filha  de Aureni
Opa , mas temos os nossoa Palhaços Sambernadenses, Hélio é um deles, Pendonga, Picaburu, temos os Secretário da Cultura Neto de Oliveira, Caio, Janaina, Elza Martins, Edu Silva, Dudu do Circo entre tanto e tantos que acabei conhecendo no CAJUV e em reuniões no Forum Aberto de Cultura e Arte.... enfim entrei um pouco para o CAJUV defendendo-o.

Nós os milhões de palhaços, nós os milhões de arlequins, somos apenas pessoas, somos gente estrela sem fim... sim, somos de um só coração, padeiro, pedreiro, passistas, coristas.... malabaristas da sorte, juntos  João ou José e nós estes Grandes Artistas da Vida, os Equilibristas, da Fé... pois é!


Embora o Palhaço é alegria, nem sempre o coração é alegre, é o que Charlin Chaplin mostra em suas peças, o Drama e a Comédia...
                     Parabéns aos Palhaços do Brasil e em especial aos meus irmãos do CAJUV

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Orquestra de Viola Caipira e convidados

Gravação do Programa Manhã Sertaneja - Especial de Natal, apresentado por Edilson Moreno para a Rede Boa Vontade. A Orquestra de Viola Caipira de São Bernardo do Campo regida por Leandro de Abreu se apresenta nessa edição com a cantora Mariângela Zan e outros convidados. Duração: 120 min. Recomendação: livre. Grátis. Retirar ingressos na bilheteria uma hora antes do espetáculo.

 Teatro Lauro Gomes. Dia 6, 20h

Ensaio no Teatro Elis Regina