sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Pascoal Meirelles, Mestre da bateria fala sobre A DINÂMICA

Tenho como uma base o "Cama de Gato" , um conjunto instrumental que  do Jazz sai baião, que do baião sai um samba, que do samba sai um frevo, que vai para o 3/4 em uma valsa ou se remete ao 6/8 em uma Guarania, e volta para o jazz , ao blues com características brasileiras

Um dos instrumentistas é o músico, compositor, arranjador  Pascoal Meirelles... em uma palhinha, para dar um aviso aos novos músicos que virão após ele, ele em vídeo dá o recado:


é uma aula se for ouvir todos os conselhos...
Harmonia, Melodia, Rítimo e DINÂMICA, assim Pascoal Meirelles configura nossa música hoje.

Mas tem tudo a ver, se for ver(ouvir) bem. No todo a música é música, em uma orquestra, o fortíssimo é bem diferente do piano, fazendo da dinâmica escrita para uma orquestra diferente da dinâmica escrita ou sentida por um grupo de jazz. A Dinâmica de uma orquestra é pontual enquanto a dinâmica do grupo de jazz tem que ser sentida, do piano e poucas notas começa-se fazer um improviso, no meio já inteirado com as notas, sobe a dinâmica, quer crescer e quer que o grupo cresça junto. As vezes, se a bateria ficar com apenas o coco do prato, o guitarrista apenas com uma nota, o baixista com apenas uma nota, já dá para se ouvir harmonia. Esta harmonia é o que chamamos de GRUPO, pois ninguém é mais importante e menos, todos são iguais a pocura do melhor som, a melhor entrada e a melhor saída.

Nenhum comentário:

Postar um comentário