segunda-feira, 22 de maio de 2017

Sucateamento Cultural

Em anos venho perguntando sem respostas sobre o sucateamento das bandinhas e agora, quem sabe o vereador, deputado estadual de outrora e que agora é prefeito de São Bernardo do Campo, Orlando Morando possa me dizer o que aconteceu com os vários instrumentos musicais que eram ou são Patrimônio Municipal... 

Na época do começo do sucateamento vi com meus olhos, uma sala com algumas mesas e carteiras danificadas e centenas de instrumentos musicais de bandinhas em um quarto que mal podia abrir a porta, mas eu vi.

No caso eu falo de roubo de patrimônio...

Até hoje o diretor da Cultura Osnir, a Gestão Willian Dib, vereadores de SBC daquela época , inclusive o vereador Orlando Morando, não souberam ou não quiseram responder as acusações.

Tínhamos 7 bandas musicais, dezenas de bandas marciais e algo perto de 60 fanfarras, São Bernardo do Campo era conhecido como Cidade das Bandas e com as melhores Bandas do país. As Bandas Municipais Infanto Juvenis do Rudge Ramos e Cidade da Criança eram temidas, pois ganhavam todas as competições que eram efetuadas na Rede Record. 
Na época eram promovidas pela Weril ( instrumentos musicais) em várias cidades do pais

As bandas de São Bernardo do Campo foram aniquiladas, e onde estão os instrumentos musicais, os patrimônios municipais? Quem ganhou com isso na gestão de Willin Dib, com o vereador Orlando Morando, pois só temos 1 banda, a Corporação Musical São José(tocando) e uma que esta escondida, que outrora era dos veteranos das bandas Sambernardenses, a Corporação Musical Filarmônica Lauro Gomes, que faliu mas retornou com uma juventude, porém não a ouvi tocar ainda, a não ser em um comitê do Willian Dib na Associação dos Funcionários Públicos de SBC quando eleito para deputado federal. 

É um passado que quero saber a resposta, pois quando Luiz Marinho assumiu, não tinha mais instrumentos, a não ser das bandas Mirim e Jovem, cerca de 90 instrumentos.
Já as 7 bandas temos que tirar a Metalurgia, pois os instrumentos eram deles e da WV então temos uma soma de 340 instrumentos de sopro e uns 10 de percussão. 

Tirando os instrumentos que ficaram na banda jovem e mirim (90) são 250 instrumentos de sopro de bandas musicais e melódicos desaparecidos.

No Teatro Martins Pena tem alguns desses instrumentos que foram avaliados como inaptos para serem usados, segundo músicos de prestigio sambernardense, porém para cada problema vemos uma sugestão... Desde que seja Weril, o instrumento pode ser consertado e ser colocado na ultima versão, pela metade do preço que seria comprado na própria Weril. A Fábrica iria derreter o material e fazer um novo.

O sucateamento teve um início na música começando com Aron Galante e Walter Demarchi, depois veio o Mauricio Soares em uma época com o PT e depois PSDB, deixando a pasta para Willian Dib no meio do mandato, mas depois o Willian deixou o Mauricio irritado com suas conclusões e passou para o adversário. após 8 anos de gestão do PT ele volta para o PSDB... eu acho que quem governa SBC é o Mauricio Soares, PT, PSDB, PPP, PCC ele é o prefeito.

Concluindo, o começo foi na música, mas vemos com nitidez que todas as outras linguagens culturais estão em um sério risco de desaparecer.








o CAJUV Coordenadoria de Ações Para a Juventude, na Redenção
o CLM    Centro Livre de Música, 
o CAV    Centro de Áudio Visual 
o CLAC  Centro Livre de Artes Cênicas 
o CRI     Centro de Referência ao Idoso

Eu vendo o CLM ser destruida, farei de tudo para que os outros centros não sejam esmagados... é por isso que ainda estamos de pé! LUTANDO e RESISTINDO


 Respeito com o artista 

Seja um dos nossos Amigos, patrocinem neste bloggue
Siga-nos

domingo, 21 de maio de 2017

Em show Beneficente, Jardim Calux foi atacada pela GCM

O que era para ser um evento de arrecadação de alimentos para o Jardim Calux, se tornou uma guerra.

Romário Firmino, dono e fundador da radio web radio Calux com a Nevada Açaí , promoveu no ultimo dia 13, eventos que a intenção era beneficente e acabou sendo alvo da "Noite Tranquila" (Operação que visa tirar os pancadões e funk das ruas) no entanto, essa noite tranquila virou uma noite com vários atingidos por gás de pimenta e armas com munição de borracha.



Neste evento beneficente, na qual fui convidado e não pude ir, haviam crianças, pessoas de idade, famílias e nada de funk ou pancadão, artistas foram convidados e se tornaram alvos com armas apontadas para a cabeça, e o evento se tornou uma humilhação.

o Mercado local teve suas instalações danificadas, teve pisoteamentos, pessoas foram feridas e foi uma má conduta liderada pelo atual gestor da prefeitura, o Servidor Publico Orlando Morando(prefeito PSDB)

Foi feito um ofício à prefeitura, foi entregue e recebida, pedindo banheiros químicos, fechar as ruas, entre outras, palco, iluminação,mas vereadores, diretores  e quem mais trabalha dentro da prefeitura disseram que não receberam tal ofício e não sabiam que ali teria esse evento , então Romario Firmino pergunta: Como vieram os banheiros químicos? como fecharam as ruas para o evento? Alguém sabia e eu concordo!

Neste mesmo dia foi feito um Noite Tranquila na Vila São Pedro, e lá sim havia Pancadão , funk.

O PSIU existe há muito tempo e sei que é Negado quaisquer autuações do tipo... O local onde está incomodando a vizinhança deve ser em primeira mão dar um pedido de abaixar o volume por um GCM ou PM, acaso este abaixe e ao não ver mais o GCM ou PM e depois aumente ,  deve ser apreendido, multado e pode ficar na cadeia de 2 à 6 meses por "Desacatar um servidor publico em exercício da função ou em razão dela" artigo 331 do código penal.
No caso o Orlando Morando poderia ser atacado, sem problemas, pois é um servidor publico, porém não está em exercício da função e nem em razão dela. Ele deu o comando para tirar todos do local e sem autoridade!
Primeiro deve dar o aviso com a palavra "por favor" !

Conversei com centenas de GCMs, alguns dizem o melhor é a porrada, outros a opressão, outros diminuir o cidadão, e apenas 2% creem que o bom dia, boa tarde e boa noite, simpatia e didática de segurança podem resolver estes conflitos entre cidadão e servidores da segurança, e digo, esses 2% faz uma diferença para um cidadão melhor!

Poderia falar o nome de um deles mas são tenentes, generais que outrora estivera em SBC e me confiaram meu livre arbítrio de mencionar o nome deles. Por isso não falo!

Segundo Romário Firmino, a forma correta seria conversar(é o certo mesmo) e não entrar atirando em todos,  entrar em uma comunidade e ferir pessoas, crianças de colo, mães e crianças, e Romario  pediu para mandar para frente, pois este video vai chegar até ele.

O prefeito Orlando Morando disse que perto do Escondidinho de Peixe ouve reclamações, mas que o povo estava fazendo? Estava fazendo uma coisa que eles , os eleitos pelo povo, deveriam estar fazendo pela comunidade e pela cidade, organizando eventos que promovam a comunidade.

Eu e o Romario Firmino estamos indignados.


Alguns nomes que o Romário fala: Ivan Silva, vereador Mario de Abreu e  prefeito Orlando Morando marquem esses nomes.
Eu colocaria mais um que deveria estar por dentro, o Diretor de Cultura (Gazelli)  e a Secretaria da Educação e Cultura
O jornal saobernardoinfo, sempre deixou a desejar com meias notícias, mas esta ele colocou por completo.

Diria mais, com um rabisco que fala tudo e se essa gestão não enxergar, a "Violência será espetáculo, com certeza" pela falta das atividades com fomento a cultura...


acompanhe a radio web calux ou sigam no face Facebook , clique aqui


Valeu Romário Firmino pela iniciativa e pelo esforço, creio que o Jardim Calux tem orgulho de você




domingo, 14 de maio de 2017

Ser Mãe é Padecer no Paraiso... vc sabe o que é isso?


       Ser mãe é padecer no paraíso. Nem todos sabem o que significa! 

Tantas vezes ouvi este ditado e, hoje, quero manifestar a minha interpretação sobre ele. Será que isso é ruim? A expressão padecer traz essa conotação negativa, pesada, mas, na verdade, não é bem assim. As mães vivem um certo desconforto desde a gestação (enjoos, azia, inchaço). No parto, com suas dores próprias; depois, nos primeiros dias, a adaptação e interpretação do choro do bebê, o sono, o cansaço. São situações reais que parecem eternas pela intensidade, mas, de repente, passam… Alguns meses depois, o padecimento é outro: voltar ao trabalho e deixar o filho, afinal, ninguém vai saber cuidar do dele como a mãe. Doce ilusão!
Mais adiante, a entrada na escola. “Quem será o professor?”, “Será que vai acompanhar a aula?”, “O que vai comer no lanche?”, “Quem serão os colegas?” “E se alguém bater no meu filho?” Nós insistimos em viver a vida dos filhos e, com isso, padecemos, pois não temos o mesmo entendimento das crianças. E quando chega a adolescência? Nossa! Aí entra outra fase. Só mudam as preocupações: filho criado, trabalho dobrado! Mas e aquilo que plantamos na educação deles? Não valeu a pena?
As mães de hoje são, na sua maioria, frutos da geração de transição do feminismo e do sexo, drogas e rock’n roll. Achar o equilíbrio não é fácil. Anterior a nós, houve a geração de pais que acreditavam que a liberdade era a melhor opção de educação para os filhos vivendo o “é proibido proibir”.

Hoje, já percebemos que os limites são necessários na formação de qualquer ser humano. Por isso, às vezes, dar um “não” ao filho chega a ser um padecimento, pois sabemos que ele queria muito tal coisa ou tal situação, mas percebemos que não é o melhor naquele momento, e isso gera um certo desconforto no relacionamento entre mãe e filho.
Mais do que padecer é compadecer, é sofrer, pois, apesar de estarmos conscientes da decisão tomada, não gostamos de ver nosso filho triste. Mais uma vez, apesar de toda intensidade, veremos que isso também vai passar! Assim como nós, hoje, neste papel de mãe, reconhecemos e aceitamos a postura que as nossas mães tiveram conosco. E pensamos: “Elas estavam certas…” Olhando tudo isso, parece que o ditado está certo: “Ser mãe é padecer no paraíso”. Agora, é preciso dizer que tudo isso vale a pena!
foto Lar Mamãe Clory 
A presença, a realização, as conquistas, alegrias e tristezas de um filho não têm preço. Esse é o nosso paraíso: a maternidade! As mães são capazes de abrir mão e renunciar a várias coisas na vida, somente não conseguem renunciar à maternidade, pois esta é inegociável!
Parabéns a todas as mães, avós, tias, madrinhas, sogras que, de uma forma ou outra, são mães em nossas vidas!

fonte Cançao Nova

sexta-feira, 12 de maio de 2017

Salvando o CAJuv

      Não posso dizer nada referente ao funcionamento e fomento à cultura com participação da prefeitura, se irá ficar como era antes, mas o espaço é nosso.
O CAJuv , assim como o CRI e SEDESC podem ser vendidos, no entanto não podem tirar o que há naquele espaço, o que foi e é para toda região das 7 cidades. Não poderão mexer nas instalações tanto elétricas como hidráulicas, não poderão derrubar uma parede sem consentimento.
O CAJuv é conhecido internacionalmente, principalmente na America Latina, como um grande incentivo ao fomento artistico de Jovens.
Como patrimônio tombado municipal de SBC o CAJuv não sai das nossas mãos e, as vezes, só é preciso 1 pedinte para o requerimento em tal ação, entretanto somos muitos e podemos fazer um requerimento em massa. Sei que todas as cidades vizinhas e irmãs de São Bernardo do Campo,  irão contribuir.
Isso é o COMPAHC-SBC, que poderá salvar tirando de vez o SESC daquele local.
Nada contra o SESC em SBC, afinal já deveria ter vindo, mas temos tantos outros lugares!
Combinemos então em fazer um requerimento eficaz, pedindo o espaço da redenção 271, em prol da cultura e artes, e por fim entregarmos no poupatempo.

Não deixem de lutar pelo CAJuv, tudo o que foi o CLM, o que foi perdido, eu vivi e com poucos músicos sabendo do ocorrido, não pudemos fazer nada e digo, pois tem gente que sente falta da orquestra sinfônica de sbc ... eu acho que ficou muito tempo. Uma orquestra que poderia ser trocada facilmente(pelo dinheiro investido nela) por uma dezena Bandas Musicais, centenas de fanfarras, dezenas de Bandas Marciais , mais  professores de musica, entre todos os instrumentos, Maestros, Corais, mais uns três pontos culturais  com tudo isso... teria musica nas escolas e quem sabe uma outra nova era da cidade dos isntrumentos de sopro?
Não sei qual era o salário do Maestro Julio Medáglia, mas sabia que tinham instrumentistas de outros países, custando o olho da cara, e os instrumentistas brasileiros, que eram poucos , acho que só um era de SBC, ganhavam o suficiente por mês , para tocar uma vez por mês  o suficiente para termos bandas e fanfarras funcionando.

Banda Municipal Infanto Juvenil  Rudge Ramos 

Aniversário da 1º radio web de SBC Vozes da Cidade

CLM

Projeto no Parque Hawai 

Banda Municipal Cidade da Criança 

Cajuv

CAJUV

CAJUV

Finalizações do ano no palco do CAJUV

SINDIMUSSP

   

quarta-feira, 26 de abril de 2017

A Cultura tá mesmo uma "merda" em SBC... e no Brasil

Aquele que era o Secretário da Cultura foi preso devido ao elefante branco que é o Museu do Trabalhador, que foi detido em  13 ou 23/12 de 2016 (histórias esquisitas) datas diferentes, no mesmo jornal.
Bom , com isso perdemos a Secretaria da Cultura e estamos com a Secretaria da Educação, trocando para um diretor  de nome Adalbero Guazelli., que é agricultor de Uvas. Ehhhh... trocamos um artista que estava na Secretaria de cultura por um Agricultor.
Assim disse Ary de Oliveira o homem indicado faz jus a memória Cultural... Gostaria de lembrar que todos nós fazemos jus a memória cultural da cidade.
Antes de Gazelli , foi tentado colocar um parente do Prefeito de Santo André "Serra", que trabalhou na cultura e foi provado que ele era uma indicação imprópria e um nepotismo.
No entanto, os verdadeiros malabaristas da sorte(artistas) querem o CAJUV (Coordenadoria  de Ações para a Juventude) situado na Rua Redenção, explicando que há outro que se é também CAJUV , mas se dedica ao esporte... o Città Di Maróstica , com o nome carinhoso de parque radical.
A turma esquece , mas perdemos muitas batalhas, como o CLM (Centro Livre de Musica) temos um CLAC (Centro Livre de Artes Cênicas) baleado, e nossos Teatros estão fechados para nós nos apresentarmos e para outros virem, CAV, etc etc

Em relação a nós, querermos o CAJUV, CLAC, CLM, CAV digo o seguinte.... não estava se criando um elefante branco (Museu do Trabalhador)? Porque não tomamos o Museu? Desde 2014 é cogitada tomar o elefante branco.

Deixo claro que estes sugestões vieram de dentro da cultura, de pessoas que sabem como funciona e sabem como irá funcionar agora, com uma diretoria.
Estou aberto para ouvir o ex secretario da cultura de sbc, ouvir também o ex vice de SBC , acredito que ele , em todas as minhas conversas que tivemos, não deu tudo de si.
Pelo que eu sei, São Bernardo do Campo está tomando uma multa danada por fazer eventos sem a autorização do ECAD , no caso, aulas de dança no Città Di Maróstica.

Deixamos claro que quem deixou, nós artistas sem  recursos foi a situação na época de 2016 e maracutaias da oposição na mesma época, pois não há como o ECAD ir até um local se não houver um cacoete, mas se houve uma falta de ética politica  e se houve algo contra o ECAD, devia mesmo ser autuado! 

Ditinho da Congada é na verdade a unica mente aberta e como os artistas não se respeitam e a diretoria ou secretaria ou secretaria da educação com diretoria da cultura não tem o mínimo de respeito com os artistas (irão dizer que pela atual dificuldade econômica que o país passa) devemos ver os gastos... 

E daí vem as frases:

Cultura é Educação e Educação não é gasto... 

Mais Cultura nas Escolas...

Fabrica do Som: Juventude Omissa , só gritam no escuro do quarto ou camuflados onde não os vejam.

Talvez Ditinho da Congada, pela sua idade, não acompanhou muito o Fabrica do Som que era feito no SESC POMPÉIA em SP , transmitido para todo o Brasil em março 1983 até junho 84 mas foi o marco da Música e da Liberdade de expressão, no entanto eu como um jovem e que teria sido indicado para a Fundação das Artes de SCS, no gabinete do Ex prefeito Tito Costa de SBC, assistia as novidades, como Paralamas do Sucesso, Titãs, Ira, Banda Metalurgia...

O programa durou 1 ano, mas fez muitos músicos pensarem e definir uma reta para seus objetivos.

Pena que hoje ainda existam pessoas que toquem por diversão  

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Carnaval de Blocos em São Bernardo do Campo, quem irá nos patrocinar?

Está ficando difícil tocar nos Teatros de São Bernardo do Campo, como em quaisquer outros lugares que são de referência à música sambernardense.

Estamos na época do Carnaval, deve ter 1 ou dois blocos se movimentando , mas sem apoio nenhum do MEC( sim porque agora temos apenas a diretoria da cultura ligada à Secretaria de Educação, onde mais de 25% do PIB é destinado à educação e 0,82% da Cultura, incluso a a paga do diretor que receberá mais de 12 mil na sua conta)

E ai Sr diretor da cultura, vamos receber apoio da cultura para exibir um ou dois blocos? ... Assim nós vamos para outro estado, cidade e digo que temos vergonha de dizer que somos de São Bernardo do Campo.

Veja em Três Pontas há algum tempo atrás! clique aqui

O novo Diretor da Cultura de São Bernardo do Campo será Adalberto José Guazzelli .
Guazzelli, tem descendência de imigrantes Italianos e é um dos grandes conhecedores da criação de uvas para vinhos, na história das vinhedas em SBC.
Deixo para vcs a incógnita, tivemos Clowns , Teatrólogos, Maestros, Musicos no cargo de Secretário da Cultura e ou Diretor da Cultura... Tudo bem que o diretor em questão, faz parte da memória cultural sambernardense, assim como eu, o Ubaldo, Bocato, Walter Sky, Claudio Baeta, Dudé Batera, e centenas de homenagens feitas em 1982, e isso digo apenas na éra Tito Costa e com os músicos.
Eu creio que o prefeito de hoje , pensa que músico não sabe planejar...

Como tem pessoas que não gostam muito de ler, fiz este breve comentário!


Quando os blocos eram nas ruas de São Bernardo do Campo com o Bloco Aquarela do Ferrazópolis 

Teatro Elis Regina Fecha para "reparos"

O Teatro Elis Regina pede reformas há muitos anos, todo Sambernardense sabe e, mais agora que o pessoal do CAJUV, do CLAC principalmente e, dos grupos musicais e das ongs como Solano Trindade tem a convicção de que o problema de hoje é de muitos anos.

Em 2013 faz a PRIMEIRA CONFERENCIA DE CULTURA onde são colocados delegados e um dos pedidos era a revitalização do Teatro Elis Regina e verbas são pedidas ao Governo do Estado, ao Governo Federal que não vem, e os pedidos de uso do espaço foi criando demandas e o Teatro teve que funcionar em precárias condições.
Diz o novo prefeito, que AGORA ele foi ver as condições e resolveu interditar. Estamos sem o Teatro mais movimentado da cidade, assim disse ele que são mais de 19mil espectadores que passaram naquele Tetro o ano passado, e só não foi mais porque a Secretaria da Cultura e o ECAD estavam se bicando.
Mas o Exmo Prefeito Orlando Morando só notou esses problemas em 2017, isso porque ele era deputado estadual eleito por SBC.
Não nego que havia todos aqueles problemas, na saída de emergência, nos extintores, e o pior, a goteira que agora nas épocas chuvas irá chover mais lá dentro do que lá fora, com toda a certeza.
Pergunto ao Prefeito que irá melhorar a cidade:_ Você já foi em um Teatro de SBC?
Ainda não sabemos o que será do Elefante Branco do Museu do Trabalhador, mas o que se espera é que seja da Cultura totalmente, mas que não sejam desfeitos o CLAC o CLM que tem uma acústica para se dar aulas em diferentes salas.
Sabendo-se que o CAJUV sairá devido ao SESC pela reintegração de posse, o Museu do Trabalhador será o CAJUV... (alguns quem mudar o nome para Fabrica da Cultura) mas o CLM em especial precisa de salas acusticamente tratadas para vários tipos de instrumentais... desde um reco reco(macumba) e Orquestral, até o Rock Punk.
É claro que o Prefeito eleito conta com seus aliados, tornando-se mais facil a execução, mas porque ele não fez isso quando deputado estadual?

A música é a principal arte em todo o mundo. Desde tribos indígenas, até em grandes cidades, a música é em especial uma forte presença artística na cultura


Como vocês podem ver no histórico deste blogguer, sempre esteve com os artistas, que um dia foram chamados de artes apenas, depois se dividiu em 11 artes, agora não sei mais o que chamar, Linguagens Artísticas culturais ? Serão as 11 tendo entre as mais cotadas Música, Artes Cênicas, Literatura e Artes Plasticas. no entanto isso vem mudando conforme a evolução, no entanto a Música é sempre a primeira...

 A música pode ser considerada uma das artes que mais influenciam na sociedade. Por isso, muitas mídias optam pela monopolização do mercado fonográfico. Se há décadas era a censura a principal vilã, agora é a alienação, o controle do que vai ou não fazer sucesso. Isso somado ao descaso pela qualidade musical atual na sociedade brasileira, especialmente nas classes mais pobres, provocando um declínio cultural.

Espero que, ao fechar o Teatro para reparos, o prefeito de São Bernardo do Campo tenha um para nossas apresentações, afinal 19 mil foi pouco, queremos 50 mil para mais no término do ano! 

Dou uma sugestão ... o Teatro Cacilda Becker, que também precisa de reformas, mas hoje ele está livre das enchentes que outrora era o caos e estragava tudo! A ultima conferencia de cultura foi feito inicialmente no CAJUV da redenção, e o segundo dia, que foi muito mais proveitoso, no Teatro Cacilda Becker( precisamos de um Teatro central)  

O povo não quer só comida, o povo quer mais cultura, diversão e arte ... O povo é exigente !



sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Itacyr Bocato Jr

Gostaria de colocar aqui, uma descrição do que é o Itacyr Bocato Jr, e nada melhor que um vídeo que fala por muitas palavras, pois são as dele... 
Este belíssimo documentário que não se perderá no tempo, trás também a história de uma cidade chamada São Bernardo do Campo, em uma pequena escola chamada EEPG Dr Baeta Neves, assim formando a Banda Musical Dr Baeta Neves ganhadora de muitos troféus. 
As épocas das Bandas em São Bernardo do Campo começou em 1923 com a Corporação Musical Filarmônica Lauro Gomes, que só em 1955 foi conhecida  como Banda e só em 1982 foi dado o nome de Patrimônio Cultural da Cidade de São Bernardo do Campo, mas  o garoto Bocato, viria apenas depois e eu viria uns 7 anos depois dele. Lauro Gomes encostou o ouvido no instrumento para se certificar que não era playback o que meninos tão pequenos tocavam e com tão brilhantismo. A Corporação Musical São José é a remanescente de tantos anos ruins com a cultura, continua firme e forte e, embora ela tenha se tornado Ponto Cultural, a banda sofre com o descaso à cultura, na música em geral que foi perpetuada até o exmo ex prefeito de São Bernardo do Campo, Tito Costa... depois dele caiu uma banda, outra e outra, mas São Bernardo do Campo continua sendo a Cidade das Bandas, ou seja , da Metaleira (trombone, trompete, sax, flautas, clarinete, souzafone, trombone, tuba, bombardino) por isso a primeira banda depois da Dr Baeta Neves, teve o nome de Banda Metalurgia, que em minha concepção dois motivos foram dados: SBC era a Capital do Automóvel e Metalurgia eram as empresas automobilísticas , outra para confundir era o jeito diferente de se dar com a musica, com fusion, funk, samba, baião em complexos arranjos.
A Abertura da Fabrica do som ( que foi da TV Cultura entre 1983/1984) foi um grande desabafo sociocultural e até hoje lembramos com gosto.


Um dos meus favoritos instrumentistas brasileiros, ex -trombonista da banda Metalurgia, ou seria melhor dizer: Trombonista da ex banda Metalurgia?
A Banda Metalurgia existe, no coração de cada instrumentista Sambernadense, por isso não considero ex banda, e poderá qualquer hora ser recomposta com outros arranjos, outros instrumentistas, que darão o mesmo brilho que ora antes era dado em tempos de Baêta... No caso eu diria: é o Trombonista da Banda Metalurgia
Falar apenas de Bocato seria um orgulho, sabendo que existe Claudinho Baêta 1982 com Mané Leão - teclados, Bocato - trombone, Nonô - trumpete, Jacaré - sax, Lino Simão - sax, Da Julia - sax, Farias - trumpete, Eduzinho - baixo, Marcelo Munari - guitarra, Duda Neves - bateria. Grandes momentos. Tema "Impulso" (Lino Simão) 
Onde estes amigos estão?????
Bocato , ou Itacir Bocato Junior  é um dos Trombonistas mais respeitados em todo o mundo, Sambernadense, trabalhou ao lado de musicos de qualidade incontestável. Este artista, estuda desde os sete anos e cursou composição e regência na UNESP, estudando também na Fundação das Artes de São Caetano do Sul. Como eu disse Bocato além de tocar ao lado de inúmeros musicos, fez parte de grandes shows com Elis Regina, Arrigo Barnabé, Itamar Assunção, Rita Lee e Roberto Carlos....







                                         Aluísio Porto faz o documentário com propriedade 
Temos Grandes Musicos em São Bernardo do Campo, Ubaldo Versolato, Claudio Baeta, Gó do Trombone, Walter Sky, Jacaré, Levi, Keli Aragão, Flavio Bala, Marcelo Lopes, Uziel ... além de muitos Maestros bons, Até o Maetro Conceição e Irineu, Cicero Dantas e Romilson e o inesquecível Walter Sky que é lembrado a todo momento pelo Bocato, o professor! 
Esta história não pode ser perdida, somos a Fabrica de Musicos de Sopro.