Pular para o conteúdo principal

Ser Musico e difundir a Musica é uma tarefa muito difícil

Ontem no MESC dois artistas no faról(uma forma de ganhar algum) falavam falavam de ganhar o teu, com malabares, soltando fogo pela boca, fizeram seu show particular...
Até comentarem no que eu mais entendo, a música.
Nada de preconceitos ou disseminar um conceito previamente , não entro em detalhes que até a Diretoria da Cultura se acha Expert no assunto...

Um texto me chamou a atenção e tomara que pessoas o vejam e reflitam...


No sax meu avô , que pode ter sido a alavanca  para eu estar hoje com um sax


Claro que existem muitos ideais na cabeça de cada um, e valorizamos mais ou menos aquilo que aprendemos, que vivenciamos. Não somos capazes de ter uma opinião fundamentada sobre tudo, embora cada campo do saber procure abarcar tudo dentro de seus discursos e assim expor seus argumentos. Se alguém falasse que o som, ou a música, tem implicações políticas e sociais super importantes, ou que é pelo som que apreendemos o mundo, logo alguém iria contra argumentar: temos outros sentidos e isso é coisa de músico!.Não dá para não concordar com os administradores sobre que a escola deveria ensinar um pouco de direito, economia, administração, a música na verdade é um contato pouco racional que estabelecemos com o mundo, o som só é racional dentro de sistemas "superados", ou socialmente divulgados como mercadoria, mas nesse caso nem precisaria falar, a educação musical poderia pelo menos superar o padrão "American idol" onde as pessoas são levadas a crer que música é só para talentosos, enquanto isso foi quebrado no ínicio do século passado, a própria escrita verbal já foi vista como coisa para poucos talentosos...




Marcelo Toste 

Marcelo Toste é um baita violinista, um talento inesgotável. É um dos moradores de São Bernardo de muita musicalidade e, fico feliz em conhecer muitos como Marcelo Toste

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Banda Mirim da EEPG Dr Baeta Neves, Medalha de Ouro do Mérito Juvenil

A BandaMirim Baeta Neves foi formada em 1963 por iniciativa da então diretora da EEPG “ Dr. Baeta Neves” , Sra Antonia Ortega de Abreu, que viu a possibilidade de aproveitamento do entusiasmo que a musica desperta normalmente nas crianças , canalizar o interesse dos escolares, retirando-as da rua, dando-lhes oportunidade oportunidade de aprimoramento de sua educação. Foram selecionados crianças do corpo discente do estabelecimento, crianças de idades variáveis entre 8 à 12 anos.
A Bandinha, como era chamada carinhosamente, teve o apoio da Municipalidade, na pessoa do prefeito Lauro Gomes de Almeida, que contratou o Maestro Irineu Negri Garcia, Maestro naquela época da “Corporação São José” , fornecendo fardamento, instrumental e incentivo a todo corpo docente daquele estabelecimento onde até esta data está sediada. Logo após a primeira apresentação em 5 de outubro de 1963, tornou-se conhecida, devido ao enorme sucesso alcançado e inúmeros convites de cidades vizinhas começaram a surg…

As fronteiras do Jazz, do Blues... quem veio primeiro?

As fronteiras do Jazz, do Blues, do suingue .... O Jazz era coisa fina, com material de primeira, mas nasceu da mesma forma que o Blues, entre pancadas de trabalhadores em linhas de trens, na força aplicada fazia-se um som e no ritmo saia uma forma de musica entre dores, o vento, o sol, a chuva e algumas palavras e musicas nativas dos escravos. Em um certo momento alguém(ingleses) com sensibilidade ouviu e disse yeé , isso dá Jazz. Quem aplica uma seção de Jazz nas veias, ficará viciado pelo resto da sua vida. Mas tocar Blues é complicado? Poxa amigo, se é complicado eu não sei, apenas digo que para ter um Session Blues basta ter alguns músicos, se faltar um baixista, por exemplo, pegaremos outro para fazermos o que chamamos no Brasil para o samba, pagode...Blues de mesa? rs quem sabe? e o melhor, são apenas 3 acordes(se vira com eles) Algumas coisas ditas em músicas Brasileiras como”Todo artista deve ir aonde o povo está” os Bluseirossentavam só com seu violão, logo aparece um vocal…

Beco Da Horta do Rudge Ramos ... conheça vc também!

A Horta do Beco do Rudge Ramos já existe há algum tempo, porém nem o inverno tirou o brilho e continua chamando pessoas de tantos lugares que nem sei mais como dizer...

Artes em pintura, Grafite, Cultura de plantas, muitas são exóticas e também musica, teatro ao vivo com um toque de festa, uma cerveja. São os amigos das artes.


como tudo começou


O começo de um lugar de maravilhas 



Colocando as plantas com o Graffit 


ECODAN aparece para dar conselhos úteis com o Alexandre Fraga 


Em breve um novo encontro, de muita cultura, arte, muitas pessoas envolvidas com esse projeto. Ciclistas , tá certo que o Beco do Batman é legal, não duvido, mas vocês conhecem a Horta do Beco na sua cidade de SBC?... fica no Rudge Ramos, apareçam no próximo encontro!
Enquanto isso, esperamos que curtam o Blogge pois só trás cultura!