sexta-feira, 26 de julho de 2013

No jogo do diz que me diz, se fazem por protetores culturais"" Políticos""

Todos quietos, não se ouve um piu... apenas as mentes dizendo " Eu quero ser escolhido pela gestão para ser um dos delegados".

No jogo do diz que me diz, na verdade não entendem nada de cultura, mas entendem e fazem política com a cultura, brincando com os que vivem de cultura.


Como isso é fantasia, não posso de maneira alguma provar, mas que esse som ecoa em mentes brilhosas e em mentes que são opostas, causando um certo conflito mental aonde direitos não são correspondidos, tanto o direito do "sim" como o direito do "não", no entanto quem faz indiretas jogadas diretamente, mas não dizendo a quem, não fazem jus em levar um pensamento que é ideológico, de boa índole, quem em suma por um breve instante querem atacar. Sabendo que não podem advogar e provar, martelam seu oponente covardemente.
O que dizem sobre transparência ou que querem a transparência nas contas do governo, esquecem-se que já é feito a anos e se você ou quaisquer cidadãos quiserem saber algo, é só pegar os dados no portal ou, se preferir peçam documentos na prefeitura, é seu dever saber mais, se informar.

Esta briga de ideologias entre os grupos que se referem a Linguagem Cultural e Artística está indo longe demais, embora alguns consigam argumentar seus interesses a proposta está distorcida se tornando nada mais que "movimento, manifestação" e esquecem de colocar a cultura em cada letra destas palavras.

Tem uma grande diferença entre:
Aquele que faz cultura
Aquele que vive de cultura
Aquele que trabalha pela cultura
Aquele que brinca de cultura

O resto é movimento e que se Deus der essa chance, que sejam movimentos culturais, não mais que isso!
Um dia, em conversa com PHA, disse em um encontro com blogueiros progressistas,"Esta tudo lindo, maravilhoso, nem vou falar nada pois o que eu vejo já me basta... na verdade é o que todo o cidadão brasileiro quer "Nada Além da Constituição", concluiu.
Estas palavras devem ser decoradas por vocês jovens e cuidado para não caírem nas artimanhas de quem diz ser revolucionário, no entanto esquecem de cuidar do seu próprio nariz, o que já seria uma revolução e tanta!
Portanto eu acredito na rapaziada, acredito nos mais experientes, acredito, mas não boto fé, pois como vemos no agora a rapaziada descobriu que tem um poder na qual desdenhava e que agora está se lambuzando, como um doce de leite... todos sabem o que fazem, inconscientemente  ou conscientemente, as vezes criminalmente, mas sabem.

Vejam a cultura como simples, ela não é tão difícil de soletrar, não é difícil de entender, sabemos que as políticas culturais foram podando de anos em anos nosso poder de querer andar, pelo menos ficar em pé. Ceifaram as cabeças de governo em governo, a história não mente e que embora não vivamos do passado, foi dela que hoje tem ,ou não, algo no presente e que possivelmente terá no futuro. Para nós, lutadores ativistas culturais, não vemos apenas um dia, meses ou ano, e sim como era feito em anos atrás, quando tudo era mais difícil e mesmo assim, resolvido com explendor.
A omissão dos poderes públicos e o desconhecimento dos cidadãos tornaram a queda de um molde possível e o que não vemos hoje em prática, pois jovens estão tendo conhecimento e governantes tem que fazer muito esforço para enganar, praticamente não há como enganar, eu diria.Entretanto, eu diria que, os jovens querem enganar, estão corrompidos, eles agora são os corruptos.
Cuidado com o diz que me diz, batidinha nas costas e palavras como, "se precisar é só me chamar" isso acontece tanto de um lado, a do poder publico, como a dos jovens, muitos deles levados por pensamentos Jovens, como há vários grupos.

O único jeito de combater esses tipos de focos é fazer cultura, assim como uma simples bandinha de 30 músicos fazia sem cobrar nada e ensaiava exaustivamente, tocava em várias cidades indo apenas com roupas criadas pelos pais. Bandinhas maiores, com melhor poder aquisitivo, tinham Túnicas, Bandinhas menores, usavam moletom, tênis conga, mas a esse momento  único, não cobrávamos nada por amor a cidade, a arte.
Acorda Mozart!!! É o que dirão, mas eu digo em uma frase: "Estou muito mais acordado que muitos"

Nenhum comentário:

Postar um comentário