quarta-feira, 24 de julho de 2013

Um Eterno Chorão, Julio Bellodi


Dia 16/06/2013 fonte G1.com

Eu não posso deixar passar em branco este dia em que meu professor deu uma aula de música e nem tampouco deixar de dizer que hoje dia 24/07/2013, Julio Bellodi teve a marca de 1000 choros feitos, sendo um dos melhores... um eterno Chorão

Aline Chiaradia canta vencedora “Infinita Cidade”. (Foto: Divulgação)

O G1.com:
A São Paulo Exposamba premiou na noite deste sábado (15) as melhores canções da mostra. Além das músicas escolhidas pelo júri, o festival teve cinco vencedores indicados pelo voto popular, em eleição feita pela internet pelo portal G1. Foram registrados 321.532 mil votos somente na fase final, que começou na manhã de sexta-feira (14). O grande vencedor nessa categoria foi o samba “Infinita Cidade”, dos compositores Paulo Henrique Costa e Julio Bellodi. (Ouça a música "Infinita Cidade" no vídeo abaixo).
 A canção é uma homenagem a São Paulo. “Com nome de santo cristão, teu concreto é um coração, infinita cidade de sonhos e encontro sutil. Teu rosto é o de uma multidão. E nas linhas da palma da mão, avenidas, contrastes, são traços de riso e de dor”, diz a letra da canção, que abriu as apresentações da final da Exposamba, no Sesc Pompeia, Zona Oeste da capital paulista.

Um dos autores da canção explica o que inspirou a dupla na hora de compor. “É uma cidade que oferece chances para todo mundo, que abraça várias pessoas do mundo inteiro, do Brasil inteiro”, disse o compositor Paulo Henrique Costa. Natural de Mogi das Cruzes, na região metropolitana, ele fala em causa própria, já que viveu por muitos anos na capital e foi acolhido por São Paulo.
Se “Infinita Cidade” ficou com a primeira colocação no voto popular, pelo menos na soma dos prêmios o destaque da noite foi Gean Ramos, de Pernambuco. Ele ficou com o segundo lugar da mostra pelo júri técnico e com o quarto lugar na votação feita pela internet. A música “Joanas, Marias e Terezas” faz uma homenagem às mulheres. “Traz nos braços um sonho e no peito um orgulho de ser vencedora que sobreviveu neste mundo de cão. Ela tem uma dura peleja de estudar e trabalhar. Na verdade o que fala mais alto é a vontade de ser alguém”, diz a letra da canção.

Gean, que é descendente de índios e negros, misturou ritmos típicos da região onde nasceu. Ele mora em Pankararu, aldeia indígena que fica às margens do Rio São Francisco, em Jatobá, cidade com 13 mil habitantes. Emocionado, ele disse que nunca imaginou viver um momento desses e que a premiação dupla é uma prova de que a carreira está no caminho certo. “Independente de premiação, poder ter passado minha mensagem é a melhor coisa”, disse.
Gean explica como conseguiu impressionar não só o júri técnico, mas também o público, mesmo sendo morador de uma cidade pequena. “Eu já morei em São Paulo, em Santa Catarina, no Rio, em João Pessoa, já fiz shows em vários lugares do Brasil e passei temporadas me apresentando em navios. Acho que agora as pessoas estão me reconhecendo, percebem que eu sou aquele cara que elas viram cantar no navio”, explicou.

Já o casal de compositores Nina Rosa e Bil Rait Queiroga (também conhecido como Buchecha) repetiram este ano o resultado da última edição da São Paulo Exposamba. Ficaram com o quinto lugar, pelo voto popular, com a canção “Poesia Barata”. No ano passado eles já tinham alcançado o mesmo resultado, com a composição “Infeliz foi a proposta”.

Os outros vencedores da noite, segundo o voto popular, foram "Um Verso e Um Chorinho" de Hardy Guedes, que ficou com o segundo lugar, e "Eu Tô Naquela", de João Henrique Koerig que terminou na terceira colocação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário