terça-feira, 23 de abril de 2013

PIOR É TER TANTA COISA PRA DIZER E TÃO POUCAS PESSOAS PARA OUVIR

Ditinho da Congada




Fiquei deslubrado com o grande poder de fogo que nossa gente Sambernadense tem com  cultura. Um deles, o Ditinho da Congada, me surpreendeu e eu sei que já nos vimos em algum dos tempos de Blocos de Carnavais de São Bernardo do Campo, no caso eu estava com o Bloco Aquarela, tocando meu sax a muito tempo atrás nas ruas de SBC...
Vou repassar o que Ditinho disse para nós em reunião no SNC na câmara dos vereadores em SBC, com a presença de outras cidades, diretoria de cultura de outras cidades e a Nossa Secretaria, com o Neto sendo o atual empossado do cargo que diga-se de passagem , é uma das maiores tarefas alegrar “Gregos e Troianos”...
A fala do Ditinho , agradecendo a todos, fica assim:

Boa noite, tem quatro personagens na questão da cultura:
1-Tem aquele que francamente tabalha com a cultura;
2-Tem aquele que trabalha na cultura;
3-Tem aquele que vive da Cultura
4-Tem aquele que faz gracinha com a cultura...

Então, precisamos saber realmente “quem somos nós?” “o que nós queremos?” “quem sou eu?” indagou Ditinho.
Responde o porque das perguntas com uma história, pois é vida de um artista que pode ou não ser igual a dele: Porque que eu digo isso? Estou com 61 anos de idade e comecei a dançar Congada com 2 anos de idade, meu pai faleceu com 88 anos e meu pai começou a dançar Congada com 3 anos de idade, estou com um negrinho lá em casa, com 7 meses de idade e quando bato palmas ele já ... no balanço! “Uma coisa que sem dúvida passa geração há geração” e, Ditinho continua com novas perguntas:
Quando eu vejo, pessoas falando sobre os editais, eu pergunto, “pra que os editais?... pra quem são editais?... pra que? (pausa para refletir)
Continua Ditinho, nas conferencias,  eu não fui escolhido para ser delegado, mas fui para Brasília e retornei, não consegui ficar um dia se quer, devido ao descaso...à vergonha!
As conferencias são coisas que devemos ver e olhar. Tem pessoas que saíram de São Bernardo do Campo responsáveis pelas conferências e deixaram as pessoas no saguão(no fundo perguntam, do aeroporto?), sem saber para aonde ir  e eles eram responsáveis pela grana....
Uma outra coisa muito séria, que ele salientou foi: Eu, Ditinho, trabalhei no departamento da cultura por 25 anos e levei até gancho, eu entrei na prefeitura limpando o chão, passa ano e acabei sendo agente cultural, mas antes disso, eu via alguém entrar para conversar com ele e, ele, o diretor de cultura, estava lá lendo um jornal! Fui eu conversar com este diretor a respeito.Vejam este perfil de um diretor de cultura que fica lendo um jornal, sossegado, sim pois cultura não é apenas cantar ou dançar, é no modo de ti falar, das mãos, do olhar, no modo de observar as pessoas e eu pedi “um minuto da atenção do diretor”, então, logo veio a resposta do diretor: Benedito, estou há algum tempo para dizer isso a você, mas vc é muito atrevido para ser servente (!) Benedito, respondeu na mesma moeda, e já que fora colocado como atrevido, mandou bem em dizer,  “não sou” “e você não tem a mínima sensibilidade e educação para ser diretor de cultura...” então, mandaram-me no outro dia eu catar papel lá na biblioteca Monteiro Lobato !
O diretor de cultura se mostra incapacitado para ser “Diretor da Cultura”
Ditinho continua com outro fato importante, fazendo um apego, participei da greve de 41 dias do sindicato metalúrgicos, e nós também... até aquele momento, e entre eles nunca se discutia cultura dentro das fábricas, nós discutíamos salários e com essa discussão sobre cultura o que acontece? Quando um candidato entra nas eleições, vão nas vilas e bairros e dizem sobre habitação, educação e saúde... Se ele falar em CULTURA o candidato dá uma pincelada  diz “aqui vai ter show” aqui...é isso!!!, ele não diz: A Cultura vai fazer parte da educação, Cultura fará parte da saúde, a Cultura fará parte da habitação...
Uma outra coisa é o nosso carnaval, que vejo uma grande possibilidade de mostrar aos nossos munícipes aos nossos cidadãos a importância o valor da nossa cultura
Mas porque Ditinho diz que o cidadão Sambernadense não dá o devido valor a Cultura? Simples... Se acaso sairmos dessa reunião e formos às ruas, vamos encontrar pessoas reclamando  do lixo que está lá há dias! Se vão ao médico em uma UBS ou uma UPA ou até o PS, vão reclamar que estão lá a mais de 4h sem ser atendido! (isso é loucura) diz Ditinho! Se referir a habitação.... bem é só perguntar quantos estão nas filas e há quantos anos afins!  Então, quando se discute cultura o que ele trás? Pra dança, pro teatro, pra cultura popular, mas não se fala nos editais de onde, para que o pessoal possa ter um revezamento dentro da saúde...
Vem Zeca Pagodinho, os palcos são montados nas ruas e desmontados, todos os artistas da cidade vão usufruir disso? Toda a secretaria está envolvida neste processo? Não ta!Dintinho diz.
Quando Ditinho disse por baixo do Carnaval, mencionou que se alguém pegasse o enredo de uma escola e dissesse sobre educação, saúde, habitação, sobre meio ambiente ou daqui a pouco olha para escola e diz, este ano vcs tem que discutir sobre a saúde de Sto André, sobre a saúde de São Bernardo e digo isso porque? Porque a Cultura transforma, a Cultura Popular dá essas condições... Agora, resta-se saber quem é movimento e quem é artista? Eu, Ditinho, sou artista, vou atrás de editais, vou na bilheteria  e é isso!!!! Os outros não, eles são  movimento, são O MOVIMENTO. Mas o que é esse movimento? Sai prefeito entra prefeito, eles não querem saber disso não, olha o que aconteceu com esse povo de cultura nosso, olhe o que fizeram com nossos pontos de cultura?! Olhe as ongs, você pega o estatuto das ongs, estão lindas maravilhosas... mas e na prática? Porém tem gente que tem ong, mas trabalham dentro do poder público, para executar serviços do poder publico e não da ong.
Ditinho ta mesmo sedento neste dia, disse tudo sobre a cultura e agora vejam só:
E a gora para finalizar(esta conversa na vai ter fim, eu garanto que não) Ditinho diz, que as coisas só irão mudar, referindo-se ao Neto e à mesa, que só iremos mudar ela um pouco que, apesar de a educação ter uma verba carimbada, o Brasil, o país, está muito longe em pensarmos nela. A educação, fui para Belo Horizonte ontem e peguei umas palavrinhas com o pessoal e eu tenho mudado... a Educação é um estabelecimento de ensino... EDUCAÇÃO VEM DE CASA... é outra coisa!... que escola ou estabelecimento de ensino não pode ser restaurante... tem governadores, prefeitos que dizem que nas suas escolas as refeições são muito boas, que eles dão 4 refeições por dia (o que é isso, restaurante agora?) Ai vem a professora e diz, tem crianças que vem à escola só para almoçar... tem outros pontos pra comer e a música vai se virando.
Eu acredito que, a cultura vai funcionar quando a verba da cultura for realmente carimbada...
Do mais... trás ... tiram-se alguns VAIs... sempre...nunca vi coisa pior... sim, pois não sou só eu que os utiliza, são todos os cidadãos! Aí vem a pergunta, qual o público que vc atinge(publico alvo) ou no meu caso, qual o público alvo da Congada? (Segura!).
Ditinho continua, com uma certa crônica verdadeira:
Há alguns Servidores que chegaram a ser Diretores de Cultura e, quando chegado ali disse, “Eu não entendo nada de Cultura!!!...” Ditinho da Congada olhou, e pediu, por favor se levante da mesa!.. o Diretor se ergueu, e o Ditinho disse, isso meu senhor é fazer cultura!!! No dia em tivermos sensibilidade , humildade, coragem, sim pois ser um Diretor não é nada fácil, teremos então um representante, em fim da cultura... “QUE OUVE, um velho cidadão!”... agora jogar, buscar, saber de cada um o melhor é papel de um agente de cultura, ou seja, vender simpatia, dar simpatia, almejar simpatia, isso é, quando está dentro do quadro que lhe foi dado, jogar e melhorar e não ficar esperando cair do céu, por isso, desde a Secretaria que temos hoje, devemos ser O MOVIMENTO, senão já sabemos as conseqüências... é por elas que estamos aqui hoje, é pelo meu filho, filha, neto, neta  e até os que virão aos mim, para que todos tenham acesso, todos conheçam, que não fique esquecido, que não seja reconhecido apenas por lazer, pois antes de você ouvir uma música, saiba que dias, meses  foram gastos para uma musica que, vc ouve em 3 min. É justo?

Ficam horas por dia ensaiando uma peça, meses  e talvez um ano, para apresentar em apenas 1:30h ou menos um espetáculo de teatro. Você acha mesmo justo?
Meu tio disse: Ser artista é duro, é um trabalho árduo(ele queria que eu desistisse)... mas se contemplado, tudo vale a pena...diz este blogger... e como vale!
Então, Ditinho da Congada conclui:
Nós aqui reunidos, devemos ser Movimento.Não vamos ficar brigando por editais... nada disso... queremos que a verba para cultura seja carimbada, queremos fazer parte da  se, mas é claro que eu, nós, precisa e todos os artistas precisam, mas devemos ser inicialmente o movimento... “queremos fazer parte da sociedade”.
Hão grupos e comunidades que começam seu movimento, vemos então a chance, de que essas pessoas do grupo, comunidade ou associação vão ser a nossa salvação, que estes vão resolver nossos problemas, então falamos, que maravilha! Este grupo de 4,5 ou 6 pessoas, logo se dissipa, saindo do compromisso que lhes foi cabido e em um prazo determinadamente curto o compromisso com reuniões, diálogos, conversas se esvai.Não podemos pensar como o poder público, onde um vereador, deputado ou secretário e até prefeitos só pensem no povo em épocas eleitoreiras.
Não podemos abandonar o movimento, mesmo que esteja fazendo um trabalho, uma peça ou outra expressão artística , não podemos abandonar!
Se acaso um de nós pegarmos um cargo de consideração, que seria um cargo de confiança, temos que trabalhar em prol do município, mas o município somos nós... Se a prefeitura diz que não pode, ou limita, vai ser duro dizer aos companheiros que, cofiaram em você pensando que seria a solução, que será uma decepção.
Ditinho termina agradecendo à mesa dizendo: Eu sou um cara que briga muito na questão do idoso. O idoso tem algumas “coisinhas” mas estão ai na vida, lutando, e o ruim, o pior para um ser humano, idosos é ter tanta coisa para dizer e tão poucas pessoas com sensibilidade e educação para ouvir... vamos que vamos!!! Termina Ditinho

2 comentários:

  1. Dalila Teles Veras23 de abril de 2013 18:16

    Grande Ditinho! Sempre ativo, presente e combativo, uma força moral onde há escassez dela. Parabéns pelo texto, Mozart!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gosto do Ditinho... pra resolver a Cultura é tão fácil, mas infelizmente não há vontade do poder público, e Ditinho passa com tanta clareza!!!

      Excluir