terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Cultura ontem e hoje(2010-2013)

Eu realmente sinto falta de um teatro que seja da iniciativa privada em SBC. Por que todos os aparelhos têm que ser públicos? Será que um teatro privado não teria condições de subsistir na cidade?

Eu gostaria de saber se há planos de se estimular por meio de isenções a construção de teatros para grupos da cidade. O pessoal do CONSORTE poderia se estabelecer dessa maneira. Poderiam inclusive ministrar aulas nos períodos em que não há espetáculos, diz Eduardo Veríssimo em 21 de julho de 2010. 

 

Realmente, naquela época talvez fosse até mais flexível, no entanto hoje, privatizar algo é anti politico, principalmente quando se trata de falar na atual gestão que é Luiz Marinho (PT)
Privatizar não, mas ter ajuda privada sim. Sentimos a falta de um professor que ficasse o ano inteiro dando aulas, que não fosse meros 3 meses de aulas em oficinas culturais e 6 meses no ano, pois isso não ajuda a formação.
Leis como a 8666 não deixam que o professor tenham vínculos empregatícios com o município, enquanto se for ajudada por uma empresa privada, contemplando o aluno com mais aulas, mais qualidade sem custo algum, ou seja, pública, seria bom...
Deixar claro que essa opinião é boa somente se os alunos tiverem isenção absoluta. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário