sexta-feira, 23 de agosto de 2013

aniversário de SBC, 460 anos


São Bernardo em seus 460 anos (velhinha ) faz mais um desfile cívico. Luiz Marinho chega ao desfile atrasado e já dizendo, talvez brincando, que estava com fome. Mas como tudo é festa restou-me observar não os que estavam no Palanque, mas o como veio este ano esta comemoração.
Pode se apresentar Roberto Carlos, Elvis Presley, mas conseguimos identificar se teve um acréscimo ou não na maneira de lidar com o fomento a cultura a partir do interesse do cidadão pelo dia, pelo que espera do desfile e pela qualidade do desfile.
Neste caso, vários pontos são observados como a de preservação do patrimônio, um dos casos foi o ônibus da empresa ABC, restaurada e dirigida por um dos condutores mais antigos. Outra maneira foi ver todo o contingente do Exercito , Militar e os Guarda Civil Municipal(que deixo claro, são policiais amigos do povo e do cidadão, protegem nosso patrimônio, são aqueles que o ideal é ser um amigo tipo que atravessa uma senhora idosa ou uma criança... esse é o papel do GCM) a Garra, Militar, Exercito, Científica dentre outras são mais opressoras.
Entre os carros, uma SAMU (não poderiam colocar todas e nem a mais, os hospitais precisam delas a todo momento) A SAMU em 2009 começou a competir com os bombeiros, lembro-me que no final de 2009, após eu ter sido acidentado em uma encruzilhada, os condutores do SAMU se orgulharam em dizer, chagamos antes que vcs, ao corpo de bombeiros.
No perfil de tradição, todas ou quase todas foram adicionadas, adicionando mais cultura nos desfiles, crianças se vestem de palhaços, de gira sois , tambores feitos com latas e em outra com garrafões de água de 20 litros, não faltou criatividade.
Mas elogios não posso dar a todos os pontos, não vi outros locais e acredito que teve mesmo êxito. Quando disseram, São Bernardo do Campo Valoriza as Bandas da Cidade, eu creio que nos finais seria valorizado todas as esferas.
Como eu disse, fico observando o que falam, o que querem, o que esperam. Uma senhora, por volta de 65 anos, elogiou o CRI (Centro de Referencia ao Idoso) além de outras coisas, ela gosta de dançar e os grupos que lá vão tocar praticamente ensaiam  e dançar seria impossível dizia ela, um senhor do lado disse que na casa de shows dele tem forró em uma semana e musica sertaneja em outra, mas a senhora disse que a dança dela teria que ter mais que isso, forró é bom, sertanejo é ótimo, mas o que aconteceu com os grupos tipos de baile?
Mais pra frente, vejo jovens que não querem nem ouvir bandinhas, talvez porque não saibam apreciar.
Crianças pequenas ouvem, imaginam-se tocando e ficam estupefatos ao ver coisas que só se via na televisão: duas pirâmide de crianças... de fato, foi a minha primeira vez, talvez por sempre estar para tocar e esperando a banda entrar.
Enfim, tivemos surpresas, inclusive no não comparecimento da Corporação Filarmônica Carlos Gomes, que sempre compareceu, mas não a notei o ano passado e nem este ano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário