segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Luiz Marinho, Prefeito de São Bernardo do Campo, perde integrantes do secretariado para Brasília

Leandro Amaral
A proximidade inegável entre o governo petista de São Bernardo e o centro do poder nacional tem inúmeras vantagens, mas também apresenta algumas baixas. Os quadros escalados pelo prefeito Luiz Marinho no primeiro escalão, por vários motivos, são alvos preferenciais do novo time da presidente Dilma Rousseff (PT).

O primeiro a migrar do petismo municipal ao PT do Planalto é o titular da pasta de Administração e Modernização Administrativa. Valter Correia deixará o Paço são-bernardense para integrar a equipe comandada por Miriam Belchior no Ministério do Planejamento. A mudança será ratificada na próxima semana, quando o chefe do Executivo Municipal regressar do período de férias.

O substituto ainda é uma incógnita. Mas é sabido que deverá ser alguém escolhido a “dedo”, pois a área encabeça iniciativas de destaque na gestão como o Plano de Cargo e Carreira aos servidores públicos, uma demanda ainda sem prazo para ser resolvida. Correia, que está na Prefeitura desde o início do governo Marinho em 2009, foi o responsável pela modernização do sistema da Administração encabeçado pela inauguração do Atende Fácil.

Além dele, outros secretários também poderão fazer a rota São Bernardo/Brasília. Leopoldo Nunes, titular da pasta de Cultura, também recebeu convite para atuar na área na esfera federal, no prisma do Ministério da Cultura. Se isso ocorrer, ao que tudo indica, o sucessor dele será o próprio vice-prefeito, Frank Aguiar (PTB), que tenta abranger seus tentáculos depois da derrota nas urnas no pleito de 2010 para garantir sua permanência na chapa de Luiz Marinho na disputa sucessória de 2012.

A própria esposa do prefeito, Nilza de Oliveira, atualmente secretária de Planejamento e Orçamento Participativo, segundo informações colhidas pelo Repórter Diário durante estadia em Brasília, teria sido convidada diretamente por Miriam Belchior para desembarcar na Capital Federal.

Mudanças da casa

Se algumas trocas serão fruto do convite via Planalto, outras serão estratégicas para resgatar a maioria governista na Câmara. Dois vereadores eleitos pelo PT, mas içados pelo Executivo ao primeiro escalão também deverão regressar. José Ferreira, titular do Desenvolvimento Social e Cidadania, e Toninho da Lanchonete, responsável pela pasta de Obras, deverão atuar novamente no Legislativo para dar mais solidez à articulação governista em prol da retomada da maioria no plenário.

O problema dessa engenharia é o desfecho de dois nomes: a novata Fátima Araújo e o experiente Wagner Lino. Ambos são suplentes e estão temporariamente no exercício do mandato. Com o retorno de Toninho e Ferreira, os dois perderiam as respectivas vagas na Casa.

Os sucessores nas secretarias focos das mudanças também são desconhecidos. Comenta-se, no entanto, que o ex-prefeito Maurício Soares (PT), que havia se licenciado do posto de assessor especial do prefeito para entrar de cabeça na campanha do filho para deputado federal, poderá assumir a cadeira de José Ferreira na Sedesc.

Nenhum comentário:

Postar um comentário