quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Altamiro Carrilho se despede dos Chorões


Luto? Não... a certeza disso não se faz luto, de preto, com rostos a mingua, mas lembremos das alegrias que ele mesmo dava e queria receber...


Aos 87 anos de idade, morre o grande compositor e músico Altamiro Carrilho. Fico triste pela perda do amigo, mas em sua trajetória musical não deixou a desejar, concretizou obras fantásticas e deixou mais de 200 musicas como legado além de difundir o chorinho para o mundo. Gravações com ele são várias desde chorinhos, sambas, eroditas, mas quem não se lembra do Altamiro tocando Tico Tico no Fubá de Zequinha de Abreu? Talvez uma das obras mais pedidas nos shows. Ele com sua flauta transversal ou com o flautim, que é um instrumento difícil de se tocar , levava multidões ao delírio... a final quantos instrumentistas conseguem tocar o Tico Tico no Fubá? Devagar até que vai, mas acompanhar o mestre não dava não!
Altamiro Carrilho, como disse difundia o Choro Brasileiro, alguns com sua composição, mas vamos lembrar de algumas obras inesquecíveis como: Tico Tico no Fubá de Zequinha de Abreu; Brasileirinho de Waldir de Azevedo; Noites Cariocas de Jacob do Bandolim, Carinhoso e Lamento de Pixinguinha, Odeon de Ernesto Nazareth...
O Choro serviu de inspiração para diversos músicos eruditos brasileiros e estrangeiros. Dentre eles Heitor Villa Lobos(Brasileiro) e Darius Mihaud (Francês)...
O Choro esta em nossa musica contemporânea, com Itacyr Bocato Junior, Jota Moraes, Caxote, Aluízio Moraes Pontes, Paschoal Meirelles, Julio Bellodi, em fim perdemos um grande amigo, mas o trabalho que ele fez de difusão do Choro Brasileiro não iremos deixar cair, o Chorão deve e tem que continuar...
Em Guarulhos-SP , existe um conservatório musical e do lado, em um bar, tem a noite do choro... sei que é frustrante perder o amigo Altamiro, mas a única coisa que ele não fez foi parar de tocar e que as noites do choro continuem.



Quem ama as Artes, Música e Cultura e gostou deste post, deixem um comentário    

Nenhum comentário:

Postar um comentário