sábado, 18 de junho de 2011

Hoje acordei com saudades do meu amigo Gonzaga Jr. o Gonzaguinha.
Começamos juntos a  carreira, em 1966. Na Ilha do Governador, Rio, como espetáculo "Joana em Flor e outras Histórias" . Um grupo de atores, incluindo eu, declamava poesias de Brecht  etc. e Gonzaguinha cantava suas músicas, pedindo que não revelássemos jamais que ele era filho do Gonzagão.
Queria fazer a carreira por ele mesmo.
Eu tinha então 18 anos e Gonzaguinha 19.
Abaixo fotos inéditas  do Grupo em viagem a Aracaju - de ônibus -  para se apresentar mo Cine Teatro Rio Branco, e logo após na Sorveteria e Boate Yara, onde seríamos presos lá , por estarmos apresentando uma peça subversiva.

Palavras do ator Bemvindo Sequeira

As minhas, no entanto, são porque eu o conheci, de perto, mas muito distante, vamos dizer que para mim ele foi uma pessoa de "glamour" tão forte que o tempo não apagará jamais. 
Antes, musico e na época de Bee Gees e Supertramp curtindo os mais variados rocks do Led Zeppelin e Black Sabath, o som do AC DC e o Kiss, Pink Floyd e etc... tinha meus ídolos brasileiros, como Elis Regina, Banda Metalurgia, o saudoso Benito di Paula ( que fez do piano uama verdadeira escola de samba) e é claro do Gonzaguinha. Ninguém haveria de entender o meu jeito, uma pessoa estranha no estilo musical.Adorava cada estilo, apreciava cada tom mas as vezes nada das letras. Não sabia por que gostava tanto e até de Bach e Bethoven, eu descobri que sou  eclético.

Hoje, passados anos da morte de meu amigo Gonzaguinha, ouço as letras e sei que ele queria dizer mais para todos nós. Meu tio Jotinha, era o que estava sempre do lado dele e sempre dizia, ele é mais gente do qualquer gente, ele era humano, morava na Terra, mas fazia muitos voarem a outros planetas. Mas nessa e outras, pergunto-me  porque ele se foi?



Como Bemvindo Sequeira, eu também tenho saudades, Jotinha não fez musica para mais ninguém por anos em depressão, e voltou com os últimos trabalhos dele com a Maria Rita.


Neste momento irei roubar, literalmente dizendo, algumas fotos do Bemvindo com o Gonzaguinha, saindo os dois para uma jornada, onde eu quando comecei, deveria ter persistido, mas como diz Gonzaguinha o homem sangra com a barra em seus ombros, desfaz dos seus sonhos, pois a vida é trabalho, e sem o seu trabalho, o homem não tem honra e sem a sua honra se morre se mata... Sinceramente é isso mesmo, crescemos em ser algo, quando achamos o algo, os pais dizem que não se pode ser aquilo, então procuramos ter outra profissão e as vezes não dá certo, tentamos o sonho antigo, e já é tarde demais deste jeito não dá para ser feliz!!!


Pais, não se entrometam nos sonhos dos filhos....



Nenhum comentário:

Postar um comentário